Diário de Ourinhos

envie sua pautahoroscopo
Blogueiros

Crônicas de Ourinhos

www.diariodeourinhos.com.br/cronicasdeourinhos
por Norival Vieira da Silva

Hotel Comercial foi um dos melhores Hotéis da região. Empresários e políticos que visitavam a região nele se hospedavam. Entre outros Ademar de Barros, Jânio Quadros, Rogê Ferreira, Moura Andrade, Laudo Natel, e até a cantora Dolores Duran.

Há uma pessoa ligada ao Hotel Comercial, Eurico Rodrigues. Seguiu sua trajetória por longos anos. Conhece, como ninguém, a evolução da Rua Antônio Prado e adjacências.

Hoje com 75 anos, Eurico nasceu em Sarutaiá, e de lá veio para Ourinhos em 1938. Em 1940 começou a trabalhar na esquina, na casa Lotérica A Vencedora, de Américo Facini, depois transferida para seu filho José Facini.

Em 1946 começou a trabalhar no Hotel Comercial, onde ficou até 1978, 32 anos, quando foi trabalhar no Grande Hotel, em Santa Cruz do Rio Pardo. Voltou para Ourinhos em 1986, Hotel 9 de Julho, com Bernardo Santos. Permaneceu nele até 1993, quando resolveu se aposentar.

Mas, vamos a história do Hotel Comercial, com muita coisa colhida do Eurico.

O português Antônio Ferreira Dias teve um Hotel na avenida Jacinto Sá. Com a construção da nova Estação da Sorocabana, resolveu vir para cima da linha, e adquiriu um terreno à rua Antônio Prado, onde hoje se localiza. Construiu o primeiro prédio em 1924, em estilo suíço. Em 1939, início da Guerra Mundial, foi construído o atual prédio, com dois pavimentos.

O estilo era arrojado para a época. O projetista foi o marceneiro Augusto Fernandes Alonso, que iniciou em Ourinhos a construção dos prédios de dois pavimentos. Muitos sobrados na Avenida Altino Arantes, e o meu sobrado esquina Cardoso Ribeiro-Expedicionário, trazem sua marca registrada nas escadas de madeira, perfeitas e de lances suaves, todas muito semelhantes. Os moldes para a moldagem dos enfeites de parede foram feitos em sua oficina.

Quando Antônio Ferreira Dias visitava sua terra natal, quem tomava conta do Hotel era o patrício Mário Thomé, pai do Aldo Matachana Thomé.

O Hotel foi vendido na década de 1940 para os sócios, também portugueses, João Domingos de Sá, o Seu Sá como era conhecido, e Delfim, que transferiu sua parte para Carlos Rodrigues, conhecido comerciante.

Durante muitos anos foram seus proprietários. Domingos Sá fez, na década de 1940, a reforma atual, com 3 pavimentos e o sótão, que descaracterizou muito o estilo. A portaria era num corredor, ao lado da Drogazil, quando foi feita a atual recepção.

O Hotel Comercial teve na época um dos mais refinados restaurantes da região.

Outros proprietários: Sérgio Golin, do Grande Hotel, e Israel Rodrigues em 1978. O atual proprietário é Paulo Suzuki.

No Hotel residiram muitos Promotores, Delegados e funcionários que eram transferidos para a cidade. Teve hóspedes famosos: Dr. Francisco Monteiro, Said Francis que faleceu num dos quartos, João Dora, Paulo Constanza, e os médicos Salim Mattar e Flávio Barbi, que dizem foi sua primeira casa em Ourinhos. Antônio Abdu, quando veio para Ourinhos como gerente da Singer, foi também um de seus hóspedes.

Há nos arquivos de Benedito Pimentel três fotos do início e alterações de seu prédio, que será matéria de seu livro de história fotográfica de Ourinhos.

.

1comentáriosclique e comente

Diário de Ourinhos